segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Ano Novo Chinês 2018: sob nova direção e mantendo o padrão de qualidade

(fotos: Daniel Ramos)
 
Antes do início de 2018, as notícias não eram nada animadoras: um comunicado publicado nas redes sociais deixou a entender que a tradicional festa do Ano Novo Chinês da Liberdade deixaria de ser realizada - o futuro deste festival, considerado o maior da comunidade chinesa no Brasil, passou a ser uma incógnita.
Até que a Associação de Amizade Brasil-China resolveu assumir as rédeas do evento, chamando para si a responsabilidade - e dentro de um período de 40 dias, conseguiu planejar, organizar e entregar um evento perfeitamente à altura dos anos anteriores.


Este é o 13º ano consecutivo em que o Ano Novo Chinês é realizado no bairro da Liberdade, tradicional reduto oriental de São Paulo.
Pelo horóscopo chinês, 2018 é o Ano do Cachorro de Terra - uma das principais características deste ano é justamente a mudança; além da lealdade e da honestidade, características do signo do Cachorro.

Cachorro, signo que rege o ano de 2018: lealdade, honestidade e
mudanças

Assim como nos outros anos, a festa apresentou alguns dos diversos segmentos da cultura chinesa: gastronomia, artes marciais, danças típicas.
No palco montado na Praça da Liberdade, não faltaram atrações - e a praça ficou pequena para tanta gente.

Uma multidão se aglomerou em frente ao palco na praça da Liberdade

Na abertura, as principais academias de artes marciais chinesas demonstraram as danças do dragão e do leão, na presença de autoridades, que realizaram no pálco o ritual de alimentar os leões com alface - segundo a crença, é um ato que atrai boa sorte.
Balões coloridos também foram soltos no céu, proporcionando um belíssimo espetáculo.

Autoridades alimentam os leões no palco, na abertura oficial
do evento (foto: Vinícius Kimura)

Balões foram soltos no céu da Liberdade


Ao longo do dia, várias atrações foram se revesando - lutas, dança, música, pintura.
E no final, houve ainda um desfile com roupas típicas de várias regiões da China e de dinastias imperiais.

Demonstração de kung fu

Grupo artístico Hua Xing - dança tradicional

Academia Avatar - demonstração de chi kung
(domínio de energia - N.A: não tentem isso em casa!!!)

Dança tradicional - dança do pavão

Associação Shaolin Wushu

Cantoras da Juventude Chinesa do Brasil

Dança étnica de Xinjiang - Missão Católica Chinesa

Desfile de trajes típicos


Encerra-se um ciclo, inicia-se outro - e com o pé direito. "Tivemos 40 dias para organizar esse evento, mas tudo acabou com um final feliz", declarou Heida Li, presidente da Associação de Amizade Brasil-China, que agora está à frente do Ano Novo Chinês.
E as perspectivas são boas para os próximos anos: "Com o apoio da organização e do público, certamente estaremos novamente presentes no ano que vem", disse Heida.

E de fato, foi uma linda festa, que não deixou nada a dever às realizadas anteriormente - pelo contrário, está no mesmo nível das outras e tem tudo para melhorar com o tempo.
E acreditar que tudo foi feito em 40 dias! Parabéns a todos pelo esforço, e que venham as próximas.

新年快乐!! (Xin nián kuài lè - "Feliz Ano Novo", em chinês)



Gostou desta postagem?
Você pode ajudar o Em Foco a se tornar ainda melhor: acesse https://apoia.se/danielramosemfoco e dê a sua contribuição!



Nenhum comentário:

Postar um comentário