quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Bob Dylan ganha o Prêmio Nobel de Literatura 2016

Bob Dylan durante show na França em 2012: cantor ganhou
Nobel de Literatura deste ano (foto: Fred Tanneau/AFP/Arquivo)


Bob Dylan foi anunciado na data de hoje (13/10) como vencedor do Prêmio Nobel de Literatura 2016, durante um evento em Estocolmo, capital da Suécia.
O cantor, de 75 anos, é considerado como um dos maiores músicos do século XX - e, segundo os responsáveis pela premiação, "criou uma nova expressão poética na música americana".


A escolha de Dylan para o Nobel de Literatura, em princípio, soa um tanto quanto inusitada - no entanto, a Academia Sueca, responsável pelo prêmio, justifica sua escolha: "ele criou novas expressões poéticas dentro da grande tradição da música americana", disse Sara Danius, secretária-geral da Academia Sueca.
Um dos membros da Academia ainda menciona: "Dylan tem o status de um ícone, e sua influência na música contemporânea é profunda. Ele é provavelmente o maior poeta vivo".

Bob Dylan veio à cena no início da década de 1960, e tem uma vasta carreira musical, com 69 álbuns lançados.
Sua carreira deslanchou a partir do lançamento do segundo álbum, The Freewheelin (1963), que contém um dos grandes sucessos do cantor, "Blowin' in the Wind".
Outras músicas de sucesso de Dylan são "Like a Rolling Stone" e "Knockin' on the Heaven's Door" - esta última foi regravada por diversos artistas, como a banda americana Guns n'Roses.
Em 2004, foi eleito pela revista Rolling Stone como um dos maiores artistas de todos os tempos - perdendo apenas para os Beatles.
O último lançamento de Bob Dylan foi o álbum "Fallen Angels", lançado este ano.

Retrato de Bob Dylan em 1965, em Londres
(foto: Arquivo/AP)

Mas Dylan não se dedicou apenas à música e às composições. Ele também tem uma carreira literária significativa, com um total de 30 livros lançados - a maior parte deles, de poesia, além de coletâneas de suas letras e sua autobiografia, Chronicles: Vol. One, lançada em 2004.
Algumas dessas obras foram traduzidas para o português e lançadas aqui no Brasil, como o livro de poemas Tarantula (lançado originalmente em 1971), publicado pela editora Brasiliense em 1986, e a autobiografia de Dylan, Crônicas: Vol. 1, publicado em 2005 pela editora Planeta.

Durante toda a sua trajetória, Bob Dylan sempre foi um artista versátil: além da música e da literatura, trabalhou também com pintura, como ator e autor de roteiros para cinema.
Além deste prêmio Nobel recém-conquistado, ganhou por 10 vezes o Grammy (o principal prêmio da música mundial), um Globo de Ouro e um Oscar de melhor canção em 2001 por "Things have changed", trilha do filme Garotos Incríveis, de Curtis Hanson, e até um prêmio especial do Pulitzer (o maior prêmio do jornalismo mundial) pelo conjunto da obra.
Não bastasse tudo isso, Dylan ganhou até uma condecoração do presidente dos EUA, Barack Obama: a Medalha Presidencial da Liberdade.

Realmente, soa estranho em princípio ver um cantor de rock como Bob Dylan ganhar um Nobel de Literatura.
Mas vendo toda a carreira do cara, vê-se que a escolha se justifica. De fato, Dylan é um dos maiores artistas do mundo em atividade, e lembrado até hoje por todos.
E realmente ele não é qualquer cantor de rock: é um dos monstros sagrados da música mundial. Um prêmio mais do que merecido.

(Fonte: G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário