sexta-feira, 9 de setembro de 2016

K-Pop em Foco #28: PSY

PSY: o mito do K-Pop
(foto: Site Oficial/YG Entertainment)

Fala galera! Tudo bem?

Esse quadro andou meio sumido, não? Pois é... reconheço que nos últimos dias o blog tem andado meio parado.
Mas também... nesse último mês tivemos uma sequência ininterrupta de eventos, em quatro finais de semana consecutivos - numa tacada só, tivemos o Kyodo Matsuri, o Okinawa Festival, o Dia da Cultura Coreana e o To-Sa Matsuri, um atrás do outro. Sem falar de outros eventos que fui e nem postei a respeito ainda, como a SP Arte Foto, que aconteceu no fim de agosto no JK Iguatemi.
O resultado disso não poderia ser outro: uma tonelada de fotos pra editar... mas aos poucos, vou retomar o ritmo normal.

E como hoje é sexta... vamos ao assunto do dia: K-Pop!
E para o retorno triunfal deste quadro, algo muito especial, e um pouco diferente do que vocês estão acostumados a ver aqui.
Até agora, postei apenas sobre grupos de sucesso da Coreia (o último post foi sobre as meninas do Wa$$up)... nas próximas quatro postagens, adivinhem: falarei só sobre artistas solo!!!
Pra começarmos esta série com o pé direito, ninguém menos do que um mito do K-Pop: um cara que conquistou bilhões de visualizações com um único videoclipe, e entrou para o livro dos recordes.
Acho que vocês já sabem de quem estou falando, não é? Ele... PSY!!!


PSY (ou Park Jae-Sang, seu nome de batismo) é um artista já bastante rodado: está na ativa desde 1999. É casado, desde 2006, com a violoncelista Yoo Hye-Yeon, e pai de duas meninas gêmeas.

É agenciado desde 2010 pela YG Entertainment (a mesma de 2NE1 e Big Bang, entre outros), e lançou seu primeiro álbum de estúdio, Psy From The Psycho World, no ano de 2001.
Antes da fama, ele chegou a estudar administração de empresas na Universidade de Boston, nos EUA, em 1996 - mas depois do primeiro semestre, largou o curso e passou a estudar música no Berklee College of Music, em Berklee.
A paixão de Park pela música surgiu aos 15 anos de idade, quando ele viu uma apresentação da banda inglesa Queen, liderada por seu vocalista Freddie Mercury, morto em 1991. A presença de palco de Freddie chamou a atenção de Park.

Freddie Mercury, do Queen: influência musical de Psy
(foto: Reprodução/Billboard)

O início da carreira musical de Psy foi recheado de polêmicas. Logo após o lançamento de Psy From The Psycho World, ele foi multado pelo governo sul-coreano por conta do "conteúdo impróprio" do álbum - seu estilo nada convencional (tanto nas letras das músicas quanto em suas coreografias) ainda lhe renderia o apelido de "cantor bizarro".
O segundo álbum, Ssa 2, lançado em 2002, teve a sua venda proibida para menores de 19 anos, graças a protestos de grupos civis. Em setembro desse mesmo ano, foi lançado o terceiro álbum 3 Psy, que pegou o embalo da recém-realizada Copa do Mundo da FIFA (sediada em conjunto por Coreia do Sul e Japão, entre maio e junho) com a faixa-título "Champion", que fez bastante sucesso.

Capa do álbum Psy From The Psycho World: o primeiro
da carreira de Psy (foto: Reprodução)

Em 2003, Psy se alistou no exército para cumprir dois anos de serviço militar obrigatório (na Coreia do Sul, todos os homens devem se alistar entre a formatura do ensino médio e os 35 anos de idade).
Após esse período, em 2006, lançou seu quarto álbum, Ssajib, que recebeu menção honrosa no MAMA (Mnet Asian Music Awards) e no SBS Music Awards.
No ano seguinte, Psy foi acusado de negligenciar seus deveres militares, durante as promoções deste álbum. Acabou condenado pela justiça e teve de se realistar, sendo dispensado do serviço militar em 2009.

Psy durante a entrega do MTV Europe Music Awards, em 2012
(foto: Reprodução/Wikipedia)

Já em 2010, Psy se filiou à YG Entertainment (até então, havia lançado seus trabalhos como artista independente), graças a um empurrãozinho da esposa e de sua amizade de longa data com o manager da agência, Yang Hyun-Suk. Nesse ano, saiu o quinto álbum, PsyFive - só pra variar, esse álbum teve uma faixa censurada (rapaz, esse cara gostava de uma polêmica, hein?! Fala sério...).
Ainda assim, Psy faturou prêmios no MAMA e no Melon Music Awards de 2011, e já despontava no primeiro lugar das paradas de sucesso da Coreia do Sul.
Em 2012, o cantor se apresentou no Japão juntamente com Big Bang e 2NE1 no YG Family Concert, em Osaka, diante de um público de 80 mil pessoas.

Imagem de "Gentleman", de 2013
(foto: Site Oficial/YG Entertainment)

E foi em 2012 que Psy fez história. Nesse ano, o cantor lançou seu sexto álbum, Psy 6 (Six Rules), Part 1, que tem como faixa-título a música que viria a ser o grande sucesso de sua carreira: nada menos do que "Gangnam Style".
A faixa ficou em primeiro lugar no ranking do iTunes (desbancando nomes do cenário pop mundial como Justin Bieber e Katy Perry) e primeiro lugar nas paradas de sucesso de mais de 30 países; e o clip da música - que conta com uma participação especial de Hyuna, ex-4Minute - tornou-se um verdadeiro fenômeno da Internet: tornou-se, simplesmente, o vídeo mais visto da história do YouTube (entrando para o Guinness Book, o livro dos recordes), chegando à marca de 1 bilhão de visualizações (!!!) em dezembro de 2012. E os números só aumentam: atualmente, o vídeo já tem mais de 2 bilhões e 600 milhões de acessos.
"Gangnam Style" alavancou a carreira de Psy a nível internacional - ele fez, inclusive, uma participação especial em um show da popstar Madonna, no Madison Square Garden, em Nova York, em novembro de 2012; e se apresentou até no carnaval de rua de Salvador, em 2013!
E pensar que antes de todo esse sucesso ele passou por todos aqueles perrengues... aposto que nem ele acreditou que "Gangnam Style" seria o fenômeno que foi.


Imagem de "Gangnam Style": o maior sucesso da carreira de Psy
(foto: Site Oficial/YG Entertainment)

Após o rebuliço de "Gangnam Style", em 2013, Psy lançou o single "Gentleman", que fez um sucesso relativo - atualmente, o clip da música está próximo da marca de 1 bilhão de visualizações.
O cantor fez ainda uma parceria com o rapper americano Snoop Dogg em "Hangover", single lançado em 2014.

Psy ao lado de Snoop Dogg no clip de "Hangover"
(foto: Reprodução)

E no fim do ano passado, saiu o sétimo álbum, Chiljip PSY-da, que tem como faixas-título as músicas "Daddy" (que tem participação especial de CL, do 2NE1) e "Napal Baji".

Imagem de "Daddy", de 2015
(foto: Reprodução)

Pois é, amigos... uma carreira extensa, recheada de altos e baixos: polêmicas, controvérsias, problemas com o Exército (antes de fazer esse post, nem eu sabia dessa, juro pra vocês)... até o sucesso estrondoso de "Gangnam Style", o cara passou por poucas e boas.
Desde o início da carreira, Psy tem como características marcantes o seu humor escrachado, suas coreografias complexas e engraçadas (ele mesmo admite que brinca com passos de dança de cantoras como Lady Gaga e Beyoncé) e as roupas elegantes e bufantes ao mesmo tempo.
E nota-se que ele procura manter essa linha - há poucas diferenças (pra não dizer nenhuma) entre "Gangnam Style" e os clipes posteriores a ele, por exemplo. Ao menos, é a percepção que eu tenho.

E claro, não dá pra encerrar este post sem "Gangnam Style", o grande sucesso do Psy que o fez tornar-se conhecido nos quatro cantos do mundo.
Bom, acho que a maioria aqui já deve ter visto o clip da música... logo, este dispensa comentários.



Faixa-bônus: "Daddy"


Não dá pra deixar "Daddy" de fora deste post - não só por ser um lançamento recente, mas também por ter um clip que, na minha opinião, é sensacional (diria que é tão bom quanto "Gangnam Style").
Mas... tem uma razão a mais para eu gostar desse clip. Ganha um doce com um cafezinho quem adivinhar qual!




Fico por aqui, galera. Semana que vem tem mais (AGORA A COISA VAI!!! *risos*).

(Fontes: Wikipedia, YG Entertainment)

Nenhum comentário:

Postar um comentário