terça-feira, 19 de julho de 2016

Opinião em Foco: Por que insistem em bloquear o WhatsApp?

WhatsApp foi bloqueado hoje, em todo o território nacional
(Imagem: Reprodução)

A Justiça do Rio de Janeiro determinou na manhã de hoje (19/07), por tempo indeterminado, o bloqueio do aplicativo de mensagens WhatsApp em todo o território nacional.
A decisão se trata de uma represália judicial ao Facebook (empresa dona do aplicativo), que recusou-se a fornecer informações para uma investigação policial oriunda da cidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
Esta é a quarta vez na história que o WhatsApp é bloqueado no Brasil, em pouco mais de um ano e meio - tais bloqueios foram motivados pela mesma razão: a recusa do Facebook em fornecer acesso a informações do aplicativo para investigações criminais.
Segundo o Facebook, não há como recuperar os dados das mensagens, uma vez que são protegidos por criptografia.


Pois bem. Agora, a pergunta que não quer calar: por que insistir em bloquear o WhatsApp para o país inteiro? Sim, porque com certeza, há uma maioria esmagadora de usuários do aplicativo que nada têm a ver com as investigações em questão (nas quatro oportunidades em que o WhatsApp foi bloqueado), e que neste exato momento, deve estar se sentido prejudicada, pois usa do aplicativo para assuntos familiares, assuntos de trabalho, entre outros usos absolutamente lícitos.
Evidentemente que há opções de aplicativos que podem servir de alternativa ao WhatsApp - mas certamente, ao menos boa parte não deve funcionar com a mesma eficácia.

O WhatsApp não é mais só um aplicativo de mensagens: em muitos casos,
é uma ferramenta de trabalho (foto: Daniela Ayres/G1)

Mas a questão aqui não é simplesmente o uso do aplicativo em si. A questão é a decisão da justiça, que adota uma postura completamente arbitrária.
Tudo bem existem coisas absolutamente sérias em jogo - afinal, uma investigação criminal é algo extremamente delicado. No entanto, será que existe a necessidade de penalizar toda uma sociedade de um país imenso como o Brasil somente por conta de uma meia dúzia que, ao que tudo indica, fez um mau uso do aplicativo em questão?

Ou seja: este caso apenas expõe a ineficácia do nosso sistema judiciário - aliada a incapacidade de diálogo de alguns dos nossos magistrados.
Na decisão que determinou o bloqueio do WhatsApp no país inteiro, a juíza Daniela Barbosa mencionou que o Facebook se limitou apenas a "enviar algumas perguntas em inglês, como se esta fosse a nossa língua oficial" e que a empresa tratou o país como uma "republiqueta".
Ora, meritíssima, com todo o respeito... será que por acaso a senhora não sabe falar inglês? Em que século a senhora acredita que nós estamos? Em um mundo globalizado como o de hoje, saber falar mais de um idioma é uma necessidade essencial - inclusive este humilde fotógrafo/blogueiro em algumas ocasiões teve de lançar mão de outro idioma, como aconteceu no último domingo, quando falei com a cantora norte-americana Marina Kondo durante o Tanabata Matsuri do bairro da Liberdade.
Não é porque estamos em um país que fala português que todos que passam por aqui são obrigados a falar português (isso me fez lembrar da ditadura do Estado Novo de Getúlio Vargas, onde imigrantes como japoneses e italianos, por exemplo, foram proibidos de falar a própria língua nativa) - e outra, estamos há dias de receber um dos maiores eventos eventos esportivos do mundo, que é a Olimpíada.
Gente do mundo inteiro vai vir pra cá pra ver os Jogos - e nem todo mundo deve saber falar português. E aí, como é que fica? Vai todo mundo preso por que não sabe falar a nossa língua?
Onde está escrito, seja na nossa Constituição ou no nosso Código Penal, que todos por aqui devem saber falar português? Em qual das nossas leis está determinada tal obrigatoriedade?
E outra: se a polícia, ou a justiça, ou quem quer que seja, sabe quem são os suspeitos de realizarem tais atividades ilícitas por meio do WhatsApp, por que não vão direto na fonte, então? Por que não fazem um mandado para que essas pessoas compareçam em juízo para prestarem depoimento, ou mesmo sejam conduzidas para tal fim? O que falta pra pegar esses indivíduos?
Ao invés de fazer todos os usuários (inclusive este que vos fala) pagarem pelo delito dos caras, porque não os enfiam logo na cadeia de uma vez e bloqueiam o aplicativo DELES?!
Ou seja: tem alguma coisa de errado no meio desse processo.

Que fique bem claro: possuo um profundo respeito pelas nossas leis e pelo nosso Poder Judiciário, que inclusive, tem prestado serviços extremamente valorosos para o nosso país - como no caso da Operação Lava Jato, que desmascarou o maior esquema de corrupção da nossa história - e por aqueles que dele fazem parte.
No entanto, como em todo meio que se preze (até na fotografia é assim), existem as laranjas podres. Há aqueles que creem que o simples fato de encabeçar uma primeira instância lhes dá o direito de fazer o que quiserem usando a justiça como desculpa.
Já ficou comprovado em todos os outros casos que simplesmente bloquear o WhatsApp para todos é uma medida desnecessária, e não resolve absolutamente nada. Pelo contrário: apenas atrapalha quem faz bom uso do aplicativo. Nada mais é do que a velha história de se prejudicar uma maioria por conta de uma minoria que fez o que não se deve.  
São decisões como esta da justiça do Rio - entre outras coisas - que acabam manchando a imagem do nosso país lá fora, fazendo com que o Brasil se pareça com uma "republiqueta".
Mas, como já aconteceu das outras vezes, alguém dentro do Judiciário cedo ou tarde há de apelar para o bom senso, fazendo com que tal decisão, desnecessária, arbitrária e, por que não dizer, fascista, caia por terra.

Agora é esperar pra ver.

Um comentário:

  1. Desabafou hein?! Mas gostei do seu texto...e dito e feito, o Tribunal de Justiça já mandou desbloquear o Whatsapp conforme vc disse...mas a normalização do app ainda está ocorrendo...resta saber, quais serãos as proximas medidas a serem tomadas qnto a este caso que já deve estar em tramite de votação na camara para que evitem essa dor de cabeça aos usuários que fazem o bom uso (com bom senso) deste app. Parabéns pelo texto, Daniel!

    ResponderExcluir