segunda-feira, 21 de março de 2016

F1 em Foco: GP da Austrália

Largada do GP da Austrália de F1: a temporada 2016
começou com tudo (foto: Getty Images)
 
Quem tem acompanhado este blog até aqui deve achar que eu só gosto de futebol - uma vez que até aqui, a maior parte das postagens relacionadas a esportes foi sobre torneios como a Libertadores e o Campeonato Paulista.
Ledo engano. Gosto de outros esportes também, dentre os quais o automobilismo, do qual sou grande admirador.
E a Fórmula 1 tem um significado muito especial - não só por ser uma das categorias mais importantes do mundo, mas também porque a acompanho desde pequeno, na época do saudoso tricampeão Ayrton Senna (olha o blogueiro entregando a idade... *risos*). Evidentemente, muita coisa mudou de lá pra cá: pilotos, carros, equipes, regulamento, etc... sou obrigado a admitir que a F1 não tem a mesma emoção de antes, mas tenho acompanhado as últimas temporadas na medida do possível.
E até o fim da temporada, conforme for acompanhando as corridas, vou dedicar um espaço aqui no blog a elas.


E neste domingo, começou a temporada 2016 da categoria. E começou com tudo!
A primeira corrida do ano - o Grande Prêmio da Austrália, disputado em Melbourne - teve direito a uma série de coisas: estreia de equipes novas, um acidente incrível, disputas de posição do início ao fim, erros de estratégia... enfim, aconteceu de um tudo.
Só uma coisa não mudou em relação à temporada passada: as Mercedes terminaram na frente. Mas ao contrário do que se imagina, desta vez as coisas não foram assim tão fáceis para Nico Rosberg (o vencedor desta etapa) e o atual campeão Lewis Hamilton. As Ferraris fizeram uma ótima corrida, e por pouco não venceram - mas conseguiram um bom terceiro lugar com Sebastian Vettel.
Entre os pilotos brasileiros, quem se deu melhor foi Felipe Massa, da Williams, que chegou em quinto. Felipe Nasr, da Sauber, ficou apenas com a décima quinta posição.

A Corrida



Logo de cara, o russo Danil Kvyat, da Red Bull, teve problemas com seu carro antes da largada. O russo ainda tentou largar dos boxes, sem sucesso.
Quando a corrida começou pra valer, as duas Mercedes (com Hamilton na pole e Rosberg largando em segundo) largaram mal, e viram Sebastian Vettel tomar a dianteira, seguido de seu companheiro de equipe, o finlandês Kimi Raikkonen. Hamilton ainda perderia duas posições, para Max Verstappen, da Toro Rosso, e Felipe Massa, e caiu para a sexta posição logo nas primeiras voltas.

A pista de Albert Park, em Melbourne, tem poucos pontos de ultrapassagem - o que dificultou a vida de Hamilton, que custou a recuperar posições.
Correndo atrás do prejuízo, a Mercedes decidiu antecipar seus pit-stops, chamando Rosberg para os boxes. Hamilton fez sua parada pouco depois.
Vettel seguia na liderança, e já abria uma pequena vantagem em relação aos demais.

Tudo corria bem. Até que na 18ª volta, um acidente impressionante deixou todos perplexos: Fernando Alonso, da McLaren, tentou ultrapassar Esteban Gutierrez, da novata equipe Haas, sem sucesso: o carro do espanhol tocou a roda traseira esquerda de Gutierrez e saiu voando da pista, capotando diversas vezes até parar no muro.
A McLaren de Alonso ficou completamente destruída. Felizmente, nenhum dos dois pilotos se feriu.
Por conta deste acidente, a corrida foi suspensa, e ficou paralisada por pouco mais de 20 minutos.

Acidente impressionante de Fernando Alonso na volta 18: apesar da gravidade,
espanhol saiu ileso (foto: Reprodução/autosport.pt)

Foi nesse meio tempo que a Mercedes resolveu dar seu "pulo do gato": enquanto Vettel colocou outro jogo de pneus supermacios, que se desgastam mais rápido e obrigam o piloto a fazer uma parada para troca, Hamilton e Rosberg colocaram pneus médios, para seguir até o final da prova sem fazer paradas.

Na relargada, Vettel manteve a primeira posição, seguido de Rosberg, Raikkonen e Daniel Ricciardo, o australiano da Red Bull. Hamilton continuava lá atrás, na sétima posição, com os dois pilotos da Toro Rosso (Verstappen e Carlos Sainz) à sua frente.
Raikkonen, com problemas em seu carro, acabou abandonando a prova na 23ª volta - ao chegar aos boxes, o carro do finlandês chegou a ter um princípio de incêndio, controlado rapidamente pelos mecânicos da equipe.

O momento capital da prova aconteceu na 36ª volta: com Rosberg se aproximando, Vettel teve que fazer sua segunda parada, colocando um jogo de pneus macios, mais duráveis que os supermacios que o alemão estava usando. Mas, uma trapalhada da Ferrari custou a corrida do tetracampeão: um dos mecânicos teve dificuldade para tirar a roda dianteira esquerda do carro de Vettel, perdendo segundos preciosos - tempo suficiente para Nico Rosberg tomar a liderança da corrida.

Vettel briga com Lewis Hamilton pela segunda posição, nas últimas
voltas da prova (foto: Getty Images)

Vettel acabou caindo para a terceira posição, e travou um duelo intenso nas últimas voltas com Lewis Hamilton, na tentativa de tomar o segundo lugar. Mas, na penúltima volta, o alemão derrapou e saiu da pista (consequência do desgaste dos pneus), e acabou por deixar o caminho livre para a primeira dobradinha da Mercedes no ano.
Com 8 segundos de vantagem em relação a Hamilton, Nico Rosberg cruzou a linha de chegada. Lewis Hamilton ficou em segundo, e Sebastian Vettel, em terceiro.

Rosberg, da Mercedes, comemora vitória no GP da Austrália
(foto: Getty Images)

Felipe Massa conseguiu fazer uma boa corrida, colocando a Williams na briga como terceira força da categoria, e chegou em quinto lugar.
A grata surpresa ficou por conta da equipe norte-americana Haas, que em seu debut na principal categoria do automobilismo mundial, abocanhou um sexto lugar com o experiente piloto francês Romain Grosjean.

Em sua corrida de estreia, a Haas conseguiu logo um sexto lugar
com Romain Grosjean (foto: Reprodução/f1fanatic.co.uk)

Confira como ficou o resultado final do GP da Austrália de Fórmula 1 - e também a pontuação dos Mundiais de Pilotos e de Construtores:

Resultado final do GP da Austrália de F1

Classificação do Mundial de Pilotos

Classificação do Mundial de Construtores
(Imagens: Divulgação)

A próxima etapa da F1 será disputada daqui a duas semanas, no dia 3 de abril, com a etapa do Bahrein.
Depois dessa corrida, dá pra dizer que tudo pode acontecer: a Mercedes não está mais tão soberana assim, ao contrário das temporadas anteriores - a Ferrari chegou com tudo, e é bem provável que Vettel brigue pelo título com a dupla Hamilton e Rosberg. A conferir.

Por enquanto é só. E aí, quem assistiu a corrida? O que acharam? Postem seus comentários a respeito!


Nenhum comentário:

Postar um comentário