terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Libertadores 2016: Confrontos da Primeira Fase

Libertadores começa nesta terça
(Imagem: Reprodução/Internet)
 
Não é só o Paulistão 2016 que começou com tudo. Outra competição importante - e de nível internacional - está para começar. Estou falando da Taça Libertadores da América - o torneio que reúne as principais equipes da América do Sul.
E já nesta terça-feira, começam a ser disputadas as partidas válidas pela primeira fase da competição - que por muitos é chamada erroneamente de "pré-Libertadores", devido ao fato desta fase anteceder à fase de grupos do torneio.
A realidade é que estas partidas já são válidas para a competição, fazendo parte da tabela oficial.

Nesta fase, temos 12 equipes, em confrontos definidos previamente por sorteio.
As equipes se enfrentam em partidas eliminatórias de ida e volta, e o vencedor de cada confronto, mediante a somatória dos resultados, assegurará uma vaga na segunda fase da competição - a fase de grupos.
Cada um dos seis vencedores irá para um grupo diferente, também definido previamente através de sorteio.
Alguns critérios são considerados para definir os vencedores do confronto - como por exemplo, gols marcados fora de casa.

Apesar de não parecer, é uma fase complicada da competição. E qualquer erro pode implicar na eliminação precoce.
Se bem que os brasileiros não costumam ter grandes problemas quando disputam esta fase - o único ponto fora da curva foi o Corinthians, que em 2011 foi surpreendido pela equipe do Tolima, da Colômbia.

Mas, voltemos para 2016. Neste ano, também temos um brasileiro disputando esta fase da Libertadores, o São Paulo - que justamente visando a competição sul-americana, fez contratações como as do lateral-esquerdo chileno Mena e do atacante argentino Calleri, para dar à equipe o espírito da competição sul-americana.

O argentino Calleri: uma das caras novas do São Paulo para a Libertadores
(foto: Maurício Rummens/Fotoarena)

Bom, chega de papo furado e vamos ao que interessa. Neste post, vou fazer uma análise, confronto por confronto, e dar o meu palpite sobre quem passa de cada um deles. Aproveitando a deixa, mencionarei em qual grupo cada equipe vencedora entrará na próxima fase. Vamos nessa?

São Paulo x Univ. Cesar Vallejo (PER)


Por ser o único brasileiro desta fase - e também para a alegria da torcida são-paulina - vou começar falando justamente do São Paulo. O Tricolor, como anteriormente mencionado, fez algumas contratações pontuais visando a disputa da Libertadores, além de trazer de volta um velho conhecido da torcida, o zagueiro Lugano. E tem em seu comando um técnico experiente em termos de Libertadores: o argentino Edgardo Bauza, que foi campeão em 2014 pelo San Lorenzo (ARG).
Com todos estes reforços, o São Paulo vem forte para a disputa da competição continental.

Lugano em 2005: uruguaio está de volta ao São Paulo
(foto: Reprodução/Internet)

Em contrapartida, o Universidad Cesar Vallejo é um clube novo, fundado em 1996 - e disputou a Libertadores apenas uma vez, em 2013, quando, nesta mesma primeira fase, foi eliminado pelo Tolima (COL).
Neste confronto, acredito que a questão técnica pode fazer a diferença - e o São Paulo não terá grandes dificuldades para passar pelos peruanos. Se bem que Libertadores é Libertadores, e não existem confrontos fáceis - logo, o Tricolor terá que entrar em campo com os olhos bem abertos. Mas pela lógica, creio que o São Paulo avance.

Quem vencer este confronto entrará no Grupo 1 da competição - que tem o tradicional River Plate (ARG), The Strongest (BOL) e Trujillanos (VEN).

Huracán (ARG) x Caracas (VEN)


Um caso semelhante ao do confronto anterior. O Huracán vem de um excelente ano de 2015, quando voltou à Libertadores depois de 41 anos. E mesmo sem avançar para as oitavas de final, conseguiu resultados expressivos, como uma vitória por 3 a 1 sobre o Cruzeiro. De quebra, os argentinos ainda chegaram à final da Copa Sul-Americana, quando foram derrotados pelo Independiente Santa Fé (COL).
O Huracán foi o melhor argentino da Sul-Americana, e isto credenciou a equipe para esta disputa de Libertadores.

Patricio Toranzo, um dos destaques do Huracán
(foto: Reprodução/Internet)

Já o Caracas não disputa a fase de grupos da Libertadores desde 2013, e também não conseguiu avançar. Em 2014, os venezuelanos foram eliminados na primeira fase, diante do Lanús (ARG).
Tradicionalmente, as equipes da Venezuela costumam ser tecnicamente mais frágeis, e não conseguem ir muito longe na Libertadores - logo, as possibilidades estão a favor do Huracán.

O vencedor deste confronto será alocado no grupo 4 - onde estão Peñarol (URU), Atlético Nacional (COL) e Sporting Cristal (PER).

River Plate (URU) x Universidad de Chile (CHI)


La U não é mais a mesma há algum tempo - nem de longe lembra o time que ganhou a Sul-Americana de forma invicta em 2011, quando surpreendeu Vasco e Flamengo (e na Libertadores do ano seguinte, chegou à semifinal, quando foi eliminada pelo Boca Juniors). Mas mesmo assim, é uma equipe que tem mais tradição em competições continentais do que o River Plate uruguaio, que, ao contrário do seu xará argentino - que inclusive já foi campeão da competição - disputa a competição pela primeira vez.
E, ao menos aparentemente, o River não é tão cascudo como seus compatriotas mais tradicionais, Peñarol e Nacional. Para ser franco, não dá pra falar muito a respeito deste estreante.
No entanto, vou apostar minhas fichas no time chileno.

E atenção, palmeirenses! Fiquem de olho neste confronto, pois quem passar aqui cairá no grupo 2 - que, além do Verdão, tem ainda Nacional (URU) e Rosário Central (ARG).

Puebla (MEX) x Racing (ARG)


Aqui, as coisas começam a complicar um pouco. O Racing, como qualquer outro time argentino, costuma entrar com força na Libertadores - vale lembrar a boa campanha do time na edição passada, quando chegou às quartas de final.
Mas as equipes mexicanas, como o Puebla, costumam dar trabalho. E ainda tem a questão da logística: as equipes sul-americanas costumam viajar grandes distâncias para enfrentar os mexicanos em seu país, e isto pode influenciar na parte física.
Fica difícil traçar um prognóstico aqui - mas acho que o Racing deve passar, com uma certa dificuldade.

Quem passar deste duelo entra no grupo 3 - o grupo do Boca Juniors (ARG), que também conta com Bolívar (BOL) e Deportivo Cali (COL).

Ind. Del Valle (EQU) x Guaraní (PAR)


Outro confronto que promete ser bastante equilibrado. Apesar da pouca tradição em Libertadores da equipe equatoriana - esta é só a terceira participação do Del Valle, que em sua estreia em 2014, fez boa campanha e chegou a derrotar o Botafogo. Um dos pontos fortes deste time é o trabalho fundamentado nas categorias de base, de onde a equipe extrai seu potencial. Mas, a falta de experiência pode pesar.

E o Guaraní?! Ah, o Guaraní... triste lembrança para o torcedor corinthiano, que viu o Timão ser eliminado pelos paraguaios logo nas oitavas de final, na Libertadores do ano passado. E não ficou só nisso. Na fase seguinte, o Guaraní conseguiu desbancar outro adversário forte, o Racing. E conseguiu chegar à semifinal, parando apenas no River Plate (ARG), que veio a ser campeão.
Se bem que, em relação à equipe que fez esta campanha histórica, o Guaraní vem um pouco enfraquecido, pois perdeu algumas peças do elenco.

O Guaraní foi a grande surpresa da Libertadores do ano passado,
chegando às semifinais (foto: Reprodução/Internet)

Como deu pra notar, tudo pode acontecer neste duelo - de longe o mais equilibrado desta fase. Logo, vou deixar em aberto.

Este confronto interessa diretamente aos torcedores do Galo - quem passar desta disputa entrará no grupo 5, o grupo do Atlético-MG, onde também estão Colo-Colo (CHI) e Melgar (PER).

Ind. Santa Fé (COL) x Oriente Petrolero (BOL)


E por fim, chegamos ao último duelo desta primeira fase. O Santa Fé é o atual campeão da Copa Sul-Americana, e tem feito boas campanhas na Libertadores. Na última edição, por exemplo, chegou às quartas de final, sendo superado apenas pelo Internacional de Porto Alegre.
Chega com favoritismo diante de uma equipe que não tem muita expressão na Libertadores - o Oriente Petrolero fez sua melhor participação só em 1988, quando chegou às quartas de final.
Aqui, não tenho dúvidas de que os colombianos passam.

O Santa Fé é o atual campeão da Sul-Americana, e vem com força
para esta Libertadores (foto: Getty Images)

Alô, Fiel corinthiana!!! Vamos ficar de olho neste confronto, pois quem passar daqui vai cair no grupo do Timão, o grupo 8 - que, além do Corinthians, também conta com Cerro Porteño (PAR) e Cobresal (CHI).

E é isso, pessoal. Pra quem quiser já ir acompanhando os duelos, nesta terça já teremos dois jogos: o Huracán recebe o Caracas em Buenos Aires logo mais, às 20:30hs (com transmissão pelo SporTV); e a La U vai ao Uruguai encarar o River Plate, às 22:45hs (com transmissão pelo Fox Sports).

A disputa pela América vai começar! Hora de torcer!
E quem vocês acham que passa desta fase? Deixem seus comentários!


Nenhum comentário:

Postar um comentário